Em São Paulo - Brasil

Fé e Cultura 6/8/22

14º Festa Fé e Cultura
197º Aniversário da independência da Bolívia.

• Gastronomia boliviana;
• Artesanato boliviano.
Sábado 6 de agosto de 2022,
das 09:30 às 21:00h.
Praça Heróis da FEB
Santana – São Paulo – SP.

Veja como chegar para o desfile folclórico Fé & Cultura 2022

Seja bem vindo

Nosso Futuro

é hoje!

A ACFBB tem a missão de promover o folclore e diversidade cultural além dos valores religiosos que identificam o povo boliviano com suas tradições e raízes para futuras gerações.

Missão

Promover a cultura e folclore boliviano no Brasil

valores

Acolhimento à diversidade; Preservação do patrimônio material e imaterial da Bolívia e do Brasil; Manutenção de parcerias e boas relações com instituições educativas e culturais; Transparência na gestão, em suas ações e resultados; Comprometimento com a população local; Zelo pela ética social e cultural.

Devoção e Fé

Respeitar a equidade ancestral da cosmovisão boliviana, aliada a fé católica representadas pelas imagens sas nossas padroeiras, Virgem de Copacabana, Virgem de Urcupiña, Virgem del Socavón, são o alicerce que mantêm o equilíbrio dentro da nossa instituição, por que com a fé podemos mudar o mundo.

0

Anos

de atuação

A fé da cultura

Fé e Cultura com devoção

A devoção as virgens de “Copacabana, Urcupiña e do Socavón”, unem a maior comunidade de imigrantes do Brasil.

Folclore em tempo real

Acervo folclórico boliviano

Em 2012 – O folclore boliviano foi declarado pela UNESCO como patrimônio oral e imaterial da humanidade

Morenada

A Morenada, uma das danças representativas da cultura ocidental da Bolívia. A danca tenta satirizar as danças das cortes do vice-reinado e também esta dança reedita ou reproduz o que era a escravidão dos negros sob o domínio dos espanhóis

Saya afro boliviana

A Saya ou saya afroboliviana é uma dança e gênero musical que teve sua origem na região dos Yungas da Bolívia entre a afro-bolivianos. O nome dessa expressão artística vem do significa trabalho comunitário liderado por uma voz cantante.

Tinku

Los Tinkus é uma dança que representa um confronto ritual que ocorre nas cidades de. O significado da palavra Tinku é “encontro” (da palavra quíchua tinkuy, encontrar). A dança é nativa dos Laimes e Jucumanis, localizados ao norte do departamento de Potosí.

Salay

Também conhecido como “salay” ou “zapateo” é uma dança do Valhe boliviano. É dançado ao som de “huayños”, ao ritmo dos charangos, homens e mulheres intercalam versos, geralmente cantados em quechua.

Caporal

O caporales é uma dança pós-hispânica, cujas raízes estão ligadas à Saya dos afro-bolivianos que vivem na região de Yungas de La Paz e que os identifica definitivamente como tal. A dança destaca a demonstração de poder, na qual prevalece o capataz.

Diablada

A dança da “diablada” é uma dança típica do departamento de Oruro, e nasce do culto do mal “supay” com o diabo da liturgia católica. Representa a luta entre o bem e o mal. A dança é popular na festa da “Virgen del Socavón” na Bolívia.

Três categorias

A força do folclore boliviano esta distribuída em três grupos importantes

Regulamentadas pela quantidade e flexibilidade das fraternidades:

  1. Pesadas
  2. Livianas
  3. Autoctonas

O Folclore Boliviano
patrimônio oral e imaterial
da humanidade

- UNESCO 2012 -

Autoridades Culturais

Depoimentos

Durante 15 anos de atuação no Brasil a ACFBB tem conquistado referência no ambiente do folclore e integração de dois povos, “Brasil e Bolívia Um Só Coração”.

Fernando Haddad Prefeito de São Paulo 2017

A cultura boliviana é importante para o crescimento da cidade de São Paulo. Nossa cidade tem muito para aprender da milenar cultura boliviana. Sejam bem vindos irmãos bolivianos.

Monica Medina Empresária RTP - Bolívia

A Associação Cultural Folclórica Bolívia Brasil, tem sido embaixadora do folclore boliviano com muito orgulho para nosso povo boliviano que reconhece a importância da sua existência.

Sabina Orellana Ministra da Cultura da Bolívia

O Folclore boliviano com suas danças, Morenada, Caporal, entre outros devem ser defendidos como 100% bolivianas, fora das nossas fronteiras. Agradecemos a ACFBB.